Exposição

Exposição Por Onde Andei

Tem alguma coisa sutil e delicada no meio de tanto horror, dor, desamor, fedor. Tem sinais de desespero debaixo do que parece um manto nos ombros do homem que caminha em meio a uma montanha de lixo. Tem crueldade em preto & branco que grita no lixão, nas vilas, favelas e prisão. Mas as fotografias de Jorge Aguiar têm a dignidade como esperança e meta. Por isso, ele não dá folga para o nosso olhar comportado, não quer saber de acomodação – dele e de quem olha as imagens. São fotografias que gritam e alertam para o resgate da dignidade de quem parece tão distante das cidades visíveis. Jorge Aguiar apresenta um recorte de três trabalhos temáticos

Um Mergulho no Inferno cenas do presidio Central de Porto Alegre/RS, O fio da Navalha o dia a dia de catadores de lixo na Cidade de Alvorada/RS e Meio Fio Vida de Cadeirante.

No início da vida profissional, ele passou anos trancado em salas de revelação como laboratorista, depois foi fotógrafo criminalista documentando mais de três centenas de pericias e trabalhou também com fotos publicitárias. Mas foi na periferia que ele encontrou a melhor tradução de como encara a vida. Das lutas sociais dos excluídos “feios, sujos e malvados” vem o seu olhar agudo e certeiro, armado com a arma de Jorge, a câmera. Com o domínio da técnica, abrindo mão do uso do flash e com imagens sem cortes feitos depois da captação, ele escancara o que está fora de quadro do mundo dos selfies.  “Fotografar a periferia é afiar o fio da navalha nos olhos” diz com a mesma naturalidade com se aproxima da vida de quem fotografa. Uma naturalidade conquistada com respeito nos anos de convívio com quem tem pouca voz fora dos salões da corte moderna. Essa aproximação dá condições dele mergulhar na intimidade dolorosa e desconhecida da maioria de nós.

As imagens impactantes de “Por Onde Andei” propõem uma dissolução de fronteiras pré-determinadas entre mundos desiguais, fazendo uma ponte entre culturas e territórios que em outros tempos eram bem definidos e diferentes. As fotografias iluminam o rosto daqueles que não fazem mais parte de uma periferia distante, mas que está cada vez mais próxima de quem antes se sentia longe e indiferente. São imagens que exigem um olhar reflexivo de quem fica inevitavelmente contaminado pelas fotografias de Jorge Aguiar.

Gilberto Perin, fotógrafo

Local: SESC Balneário Camboriú

Av. Central, 360 – Centro, Balneário Camboriú

Horário: De segunda a sábado das 8:00 às 22:00 hs

 

Exposição Coletiva Domus 27

Fotógrafos:

Celso Peixoto

Pedro Caetano

Morena Allemand

Sonora Satia

Guilherme Ferreira

Local: Loja Domus 27

3ª Avenida, 1750 – Centro, Balneário Camboriú

Horário: De segunda à sexta das 9:00 às 18:30 hs

Sábado das 9:00 às 14:00 hs

 

Exposição Rodar do Engenho

Fotógrafo: Flavio Fernandes.

Local: Hotel Negrini

Rua: Rua 3300, 45
Bairro Centro, Balneário Camboriú

 

Exposição No Hay Límites – Do Atlântico ao Pacífico

Fotógrafos:

João Gabriel Monteiro

Vinicius de Oliveira

Local: Mercado Pirata – MPBC

401, 111 – Centro, Balneário Camboriú

Horário: De quarta a sábado das 20:00 às 02:30 hs

 

Exposição Coletiva Olhares

Fotógrafos:

  • Ana Sabiá
  • Celso Peixoto
  • Carola Santos
  • Diorgenes Pandini
  • Edu Lyra
  • Flavio Fernandes
  • Felipe gallarza
  • Gal Oppido
  • Jorge Aguiar
  • Laura Lavergne
  • Lígia Fernandes
  • Lilian Barbon
  • Lucila Horn
  • Marcelo Fernandes
  • Marcos Varanda
  • Nilo Biazzetto Neto
  • Thainara Giraldi
  • Valdemir Cunha
  • Vinicius de Oliveira
  • Wander Rocha

Local: SESC Balneário Camboriú

Av. Central, 360 – Centro, Balneário Camboriú

Horário: De segunda a sábado das 8:00 às 22:00 hs

bcfotofestival